quinta-feira, 10 de março de 2011

Primeira ação da AGMBC-PE em prol da categoria

A primeira ação oficial da AGMBC-PE, logo após sua criação oficial, em 27 de fevereiro, foi a emissão de um documento solicitando a regulamentação da função dos Guardas que atuam no Hospital Monsenhor Alfredo Dâmaso, devido ao acúmulo de funções, pois estes servidores, além de desempenharem suas atribuições, ainda tem que efetuar serviços extras, como maqueiro, recepcionista, entre outros. O fato ocorreu logo  depois de um guarda ter sido agredido fisicamente enquanto estava desempenhando a função de atendente, preenchendo ficha de atendimento, quando foi surpreendido por um sujeito que o agrediu com um capacete, sendo contido em seguida, evadindo-se do local, no entanto, no mesmo dia do ocorrido, membros da associação dirigiram-se ao Ministério do Trabalho, em Garanhuns, para solicitar informações a respeito das condições de trabalho irregular, que após a devida orientação jurídica, resolvemos tomar as providencias em relação ao caso. O documento foi entregue diretamente a Direção do HMAD, onde aguardamos o prazo legal de 30 (trinta) dias para adequação da função. Destacamos ainda, que desde gestões anteriores os guardas vinham executando atribuições paralelas às suas funções, devido à falta de pessoal, porém, desde o inicio da atual gestão foi retirado dos seus salários o valor correspondente a 40 (quarenta) horas extras, para a execução das referidas atribuições, onde depois de várias tentativas de negociação foi retirado definitivamente, como é o caso também das horas extras que eram executadas em serviços como: feira-livre, segurança em eventos oficiais e outros. Segundo a direção da AGMBC-PE, não podemos mais ficar reféns dos nossos gestores, aceitando acordos verbais que não garantem a estabilidade dos nossos direitos, sendo retirados a qualquer tempo, sem o mínimo senso de respeito com as categorias assalariadas, pois o valor de R$ 136, 25, pode não ser muito para quem ganha altos salários às nossas custas, mas faz muita diferença na mesa de um trabalhador que depende unica e exclusivamente do seu salário para manter sua família.


OFÍCIO Nº 001/2010
Bom Conselho, 04 de março de 2011.

A Sra. Maria das Dores Soares de Siqueira Ferreira
Diretora do Hospital Monsenhor Alfredo Dâmaso


                Pelo presente, informamos a V. Sra., que mediante o fato da agressão física ocorrida com o Vigilante  Gleison da Silva Santos, no dia 03/03/2011, os  servidores da área de segurança e vigilância que atuam nos setores do H.M.A.D, no prazo de trinta dias, a partir desta data, deverão adequar suas atribuições conforme o determinado por lei (Edital Concurso Público 01/2004), devido o referido fato ter ocorrido quando o vigilante estava exercendo uma função que não  consta em nossas atribuições, o descumprimento do  mesmo, acarretará abertura de processo junto ao Ministério do Trabalho,  por acúmulo de funções não remuneradas (atendente, telefonista, maqueiro , etc.)




Felipe Ferraz Tenório
Presidente

Nenhum comentário:

Postar um comentário